27 de abril de 2012

De Pina a Pina Bausch



Wim Wenders, cineasta alemão, que em forma de imagens expressa a música em forma de corpos, que bailam a narrativa. O corpo de bailarinos formam a alma do corpo de Pina Bausch. Pina que não é colada, mas o seu sentir cola os nossos olhos na alteridade outra, que nos revela ritmicamente os passos nem sempre cadenciadas da sua alma. O diretor evita a sua imagem concreta, prefere que os espectadores-leitores o façam por si mesmos, dentro de possibilidades infinitamente íntimas. Bailes de corpos que não se envolvem por cadeiras, por objetos, ou os que tenham forma, a única forma é a do sentido que revela o universo reverso do apresentar-se.

Texto de Cláudia Veras sobre o filme Pina 3D.

Success (1)


25 de abril de 2012

Cosmópolis (2)

Na semana passada, postei num dos meus blogs o trailer da adaptação do livro Cosmópolis, de Don Delillo. Li o romance americano no ano em que foi lançado, 2000, e sempre me chamou a atenção a história de um dia na vida de um jovem especulador da bolsa de valores, bem sucedido diga-se de passagem. Em 24 horas, a vida de Eric muda de ponta à cabeça. Isso me assusta: a viva roda da fortuna; talvez pelo fato de eu ser assumidamente uma pessoa controladora. Mas quem não terá medo das mudanças radicais possíveis de acontecer em nossas vidas, muitas vezes sem aviso, sem telegramas ou notas de antecipação? O inesperado! Conforme passam os anos, o inesperado bate à nossa porta, todos os dias, e precisamos nos adaptar a isso para viver. Nos adaptamos, ou tentamos, dependendo da realidade de vida de cada um de nós. Quero reler este livro, pois ele continua com uma força atual: as crises capitalistas aumentaram. Estamos no Brasil, um dos BRICs, mas estamos num mundo em crise. Nós estamos em crise. Ao abri-lo hoje, reencontrei as notas de protesto do 11 de Setembro que recebi de um americano para distribuir aqui no Brasil. Depois do 11 de setembro o mundo não foi mais o mesmo. O livro em breve estréia nas telas. Assistam! Quanto mais estivermos por dentro da realidade melhor. Ou não? Será que a ignorância nos dá um certo conforto? Há quem pense que sim. 

Trecho da sinopse do livro (texto da Companhia das Letras): No decorrer do dia, as certezas e os valores de Eric se mostram vazios e sua vida entra em colapso. O empresário perde mais e mais dinheiro - e também toda a fortuna de Elise -, até que o sistema financeiro global é arrastado para uma grave crise. A história revela mais do que a falta de sentido de uma existência individual: ela aponta para o caráter perigosamente ilusório das bases que sustentam o mundo contemporâneo. + detalhes do livro.

24 de abril de 2012

Escuto histórias de amor...por Ana Teixeira


Intervenção urbana realizada em vários países: Brasil, 
Portugal, Alemanha, Itália, França, Chile, Canadá.
Entrevista com Ana Teixeira no site Aletria.

19 de abril de 2012

18 de abril de 2012

FILE 2012 : Elucidating Feedback


Instalação controlada mentalmente sobre a criação inerente ao ato de observar.
Criação de Ben Jack, da Nova Zelândia.


Foto de Claudia Veras

FILE 2012 : ADA - Analog Interactive Kinetic Sculpture

Globo transparente cheio de gás hélio com pontas de carvão. 
Karina Smigla e Bobinski (Polônia e Alemanha)


Foto de Claudia Veras

17 de abril de 2012

Quem diria que é hamburguer vegano...

mas é!
Feitos pela amiga Luciana Cortazio.
Tem de quinoa, grão de bico, soja ou lentilha.
Interessados escrevam para:
 luciana_cortazio@yahoo.com.br
Assunto: Hamburgueres Veganos.


Rei Juan Carlos: Por que no te callas!

Contra a crueldade animal. 
Protesto contra o Rei Juan Carlos da Espanha!


8 de abril de 2012

Eleições Municipais 2012

Seu voto não é abacaxi.
Comece a pensar para quem ele vai.


Veja + manifestações de rua na página FB

6 de abril de 2012

5 de abril de 2012

Potestade


Potência, força, poder e também um dos coros de anjos: potestade. Aristóteles, Locke, Onfray, Deleuze, Nietzsche e por aí vai. A busca é incessante e atemporal. Vivemos em im-potências diversas: amor, crédito, competências, sobrevivência, vulnerabilidades, adaptações. Tudo nos afeta e nada nos afeta. O importante é não deixar de manifestar a sua potestade, mesmo que esteja vindo uma grande tempestade.

1 de abril de 2012