26 de novembro de 2012

De tempos em tempos enlouqueço...


Estava lendo umas páginas do novo livro de José Eduardo Agualusa (Águas Lusas), quando deparei-me com tal frase: "Às vezes penso: enlouqueci". Palavras parecem como coletes salva-vidas no meio do oceano ordinário dos dias, que vivemos, sobrevivemos e esquecemos...de nós. Como é árduo viver mais esquecida dos nossos sonhos, envolvida pelo fluxo cruel da contemporaneidade. Às vezes desperto do pesadelo. Ninguém ao lado. É preciso continuar a viagem. Mas de vez em quando, permito-me sair dos trilhos, andar por outra via, na contramão da escravidão. Certo dias, lembro-me de minha natureza e enlouqueço. Assim vejo o dia mais feliz. Não há poesia nisso, apenas despertar e reencontro com a essência.

Nenhum comentário: