22 de fevereiro de 2012

Prozac Virtual

Prozac virtual - assim é conhecida a dependência de internet na Coréia do Sul, um dos países mais conectados do mundo, aponta Maíra Lie Chao em matéria de comportamento intitulada "24 horas conectados", da revista Planeta edição de fevereiro de 2012, nº 473, ainda não disponível no site da revista. Ela inicia a matéria "Para os jovens, o celular é percebido como uma extensão do corpo. Sair de casa sem o aparelho é como esquecer uma parte de si". E é verdade, percebo isso não só nos jovens, mas em pessoas de mais idade, como eu aos 40 ou outras amigas aos 50. Tenho amigas que não se importam em atender chamadas enquanto dirigem. Apego, vício ou o quê? Não cheguei a uma conclusão ainda. Mas lembro da apocalíptica secretária de um chefe que dizia que o vício estaria na mão e na testa, na mão o celular e na testa os iPads, tablets e computadores. E não é que ela tinha razão? No Amor Líquido (2004), Bauman escreve: "Estando com seu celular, você nunca está fora ou longe. Encontra-se sempre dentro - mas jamais trancado em um lugar. Encasulado numa teia de chamadas e mensagens, você está invulnerável. As pessoas ao seu redor não podem rejeitá-lo e, mesmo que tentassem, nada do que realmente importa iria mudar." Em 2004, Bauman ainda não tinha previsto a conexão 24 horas à  internet, mas já dá para sentir o poder dos portáteis: proteger o indivíduo da solidão. Exagero meu? Sinceramente, acho que não. 

2 comentários:

Professor Joaquim disse...

Muito bonita e importante sua matéria, parabéns. Matérias como a sua podem contribuir para o vislumbrar de uma nova consciência sobre a sociedade na qual vivemos e participamos.

Um abraço amigo,

Joaquim Santos- Joaqukim@gmail.com

Nelida Capela disse...

Joaquim, obrigada pela sua visita ao Olhar Nômade!