11 de fevereiro de 2012

Nardja Zulpério ou melhor Regina Casé


Na década de 90 o teatro no Rio de Janeiro contava com um repertório muito privilegiado. Entre as peças de Mauro Rasi, Antonio Abujamra, Gerald Thomas, estava a de Hamilton Vaz Pereira, estrelada por ninguém mais que Regina Casé. Maravilhosa no papel de Nardja Zulpério. Na comédia, fragmentos de Nietzsche e o seu Assim Falou Zaratustra, além da mitologia grega em cena. Bons tempos de teatro. Eu era aluna de graduação da PUC-Rio, bolsista em pesquisa e monitora do Departamento de Letras. Morava com meus pais e não tinha grandes despesas, podia me dar ao luxo de ir ao teatro e ao cinema sempre. Adorei o Flash and Crash Days do Gerald Thomas. Um Certo Hamlet dos Fodidos e Privilegiados do Abujamra, com Vera Holtz e Suzana Faini, era uma novidade - Shakespeare encenado por mulheres. No carnaval, lembro sempre de O Baile de Máscaras do Mauro Rasi, com Cleyde Yáconis. Outro dia fui ao teatro assistir um musical, apesar de elogiado pela BH, não me levantei para aplaudir ao final. O fim da picada é aplaudir espetáculo medíocre, isso eu não faço!

Leia+ sobre a peça Nardja Zulpério

3 comentários:

Vilma disse...

Qual foi o musical, Nélida? Fiquei curiosa. ;o))

Nelida Capela disse...

O musical chama-se As Quatro Faces do Amor, que inclusive foi elogiado pela Barbara Heliodora e concorre a Prêmio...

Vilma disse...

Hmm...nem ouvi falar. Também...ando meio por fora dos espetáculos musicais. Mas bom saber que não é lá grande coisa porque aí mesmo é que eu não vou ver. ;o)