28 de maio de 2011

Outono: Trench Coat

Vejam a informação sobre o trench coat original.
A moda traz peças cuja a origem é interessante saber...



27 de maio de 2011

Meditation Hour: A Perda e a Vitória



Pense nisso: quando algo desagradável acontece e você fica irritado, você é o perdedor, visto que a irritação imediatamente destrói a sua paz mental e no final traz resultados indesejados. Mas, se alguém o ferir e você não perder a sua paz mental, esta sim é uma vitória.
Quando se perde a paciência e a calma...
Leia o post completo no blog Samsara

Tiger (5)

24 de maio de 2011

A vida muitas vezes pede...


para ser domada. 
Só não sei se nós domamos ela 
ou se é ela quem acaba nos domando.

20 de maio de 2011

Geek Machine


Máquina que vende cabos USB, placas e outros brinquedos geeks...além de comida desidratada, do tipo que o Exército consome. Leia+ aqui

Um certo tédio nas redes sociais (1)


De uns dias para cá fui acometida de uma enfermidade nada peculiar: tédio nas redes sociais e na internet. Eu já vinha observando isso há algum tempo, o ápice foi minha ausência no Twitter. Agora, flutuo no Facebook e mesmo nesse espaço...me sinto minguada. Com tanto contéudo, as pessoas enjoam de mim e eu...delas. Há dois meses atrás, imagina, estava incentivando usuários e treinando-os para melhor utilizarem o Facebook. Ainda não consegui entregar-lhes a última apostila, que está pronta, nem os certificados.Agora sinto minha ausência nos blogs...isso para mim é a morte. Quando eu era criança, tinha pesadelos: no escuro, formas arredondadas iam se unindo e se integrando formando outras formas maiores. Eu acordava enjoada. Agora tenho pesadelos com linhas e pontos que se unem. Acordo, não enjoada, mas imersa na solidão, apesar de passar meus dias em companhia de gente do mundo todo, do Brasil todo, transeunte nas redes sociais virtuais e transeunte no Centro do Rio de Janeiro. Talvez isso seja a síndrome que virá: um certo tédio da solidão na imensa rede social...ou  que quer que isso queira dizer. Enquanto isso não passa, tento me apegar de novo aos livros, às músicas, às pessoas. Telefono para um, para outro. Escrevo e-mails. Tento manter minha figura dentro da normalidade habitual e ordinária dos tempos. Quando chego em casa, Neve, minha cachorrinha, faz festa, balança o rabo e late. Eu ouço ela dizer "vamos passear". Ainda bem que a Neve me lembra todos os dias: há vida fora das redes sociais virtuais, há vida fora do computador. Acho que se não fosse meu cachorro, enlouqueceria.

13 de maio de 2011

Mariko Mori (2)

Nesta semana, fui ver a exposição da Mariko Mori, aberta na terça-feira, 10 de maio, no CCBB RJ. Podemos atribuir muitos predicados à fantástica obra de Mariko Mori - os atributos são infinitos. Mas o que de fato define a exposição que agora chega ao Rio de Janeiro são as palavras Impacto Sensorial - com maiúsculas mesmo.  Vivemos aprisionados na correnteza voraz do cotidiano, sem percebermos, sem olharmos para o que acontece ao nosso lado e ao que acontece a nós mesmos - essa é a realidade de muitas pessoas hoje. Entrar e experimentar Oneness é quebrar essa onda e entrar em outra onda...somos um e somos todos ao mesmo tempo. 

Para começar, no foyer, Wave UFO, uma nave espacial concebida em technogel aonde entramos e recebemos estímulos cerebrais que fazem nossas ondas cerebrais, de ambos os hemisférios, projetarem-se no teto da nave. As nossas vibrações possuem uma cor para cada sentimento que projetamos no ambiente. Cada sessão é diferente da outra, pois muda o coletivo. O rapaz que trabalha como assistente disse que em Brasília a nave ficou azul somente 5 vezes - pessoas na mesma sintonia :o) 

A exposição é dividida em 10 partes, com instalações e vídeos. Outro destaque, que está no 1o piso, é a obra que dá nome à exposição: Oneness. 6 figuras, ETs se preferir, estão formados em círculos. Para funcionar precisa de 6 pessoas a eles conectados. A gente se ajoelha, coloca a mão nele e com nossa vibração o coração dele acende e começa a bater. Se alguém não estiver conectado, não funciona. O vídeo Kumano é outra delicadeza, mix das tradições Xintoísta, Budista e Zen. 

Uma dica importantíssima para melhor aproveitar a exposição: utilize o roteiro da exposição que está disponível na entrada do 1o andar, sem ele vai ficar difícil acompanhar as obras. Para entrar na Wave UFO precisa pegar senha, mas vale a pena! Aproveite a música e a estética minimalista japonesa: Less is More - percebam isso nos detalhes, vc será invadido por diferentes sensações. Entre na onda de Mariko Mori, entre no CCBB de coração aberto :o)

Astronautas (4)

Mariko Mori

Pela primeira vez no Brasil,Mariko Mori.
Chegou nesta semana ao CCBB RJ, depois de passar por São Paulo  e DF.

11 de maio de 2011

Saudação ao Sol



A milenar sabedoria indiana nos ensina que o Sol é o coração do nosso mundo. Não só do mundo material, gerando luz, energia e calor para a Terra, mas também do mundo espiritual. Segundo os antigos mestres yogues, todas as pessoas têm uma espécie de “sol interior“, que pode ser interpretado como nosso espírito  e que deve estar sempre em contato com o Sol exterior, a força capaz de integrar todos os homens por meio de sua luz, poder e grandeza. Por tudo isso, nada mais justo do que celebrar todos os dias o nascer e o pôr-do-sol. E justamente com esse intuito foi criada a Surya Namaskar, ou Saudação ao Sol, uma das mais célebres sequências do yoga. 

Texto de Fábio Portela no site Tríada

Isso se chama...criatividade

6 de maio de 2011

A luta diária


Uma noite, um velho índio contou ao seu neto sobre a guerra que acontece dentro das pessoas.  Ele disse:
 - A batalha é entre dois "lobos" que vivem dentro de todos nós. 

Um é Mau. É a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, mentiras, orgulho falso, superioridade e ego.

O outro é Bom. É a alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.

O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:
- Que lobo vence?

O velho índio respondeu:
 - Aquele que você alimenta."