24 de abril de 2011

Krug está no ar !


Que tal um passeio luxuoso no balão da Krug sobre o Arizona, Los Angeles, Tóquio, Hong Kong, Toscana e outras localidades, com direito a um belo buffet, vista maravilhosa, destinos interessantes, surpresa, boa companhia e champagne, claro! Leia+ 

Street Art (8)


Oak0Ak

17 de abril de 2011

Joaquim Tenreiro (1)


+ mobiliário aqui.

Crônica de domingo: Praia de Ipanema, Folha de São Paulo e Resgate ao Mar


Passei o final de semana em Ipanema, no RB Residence, com a Neve. Fizemos vários passeios, o que tirou Neve do tédio, pois novas paisagens sempre distraem - seja gente, seja cão. No domingo, resolvi ir à praia.Fui com a Neve mais cedo e depois fui sozinha. Parei na banca de jornal para comprar algo para ler: entre O Globo e Folha de São Paulo, fiquei com a Folha - sorte minha! Ler os jornais de SP é estar em dia com o que acontece no país, vamos às manchetes e matéria - os títulos são sempre encantadores: O Silêncio do Cordeiro; Ministro da Providência é sócio de empresa que processa a própria pasta; Entrevista com João Pedro Stedile (não deixem de ler!); Palocci  recruta jovens para posição-chave da Casa Civil (importante!); Painel de FHC para Lula; Ser Humano é o terceiro chimpanzé; Feira de defesa tem colete à prova de bala para cachorro (para quem não sabe, aconteceu no RJ, na semana que passou, a LAAD). No meio dessa leitura toda, um salva-vidas fixa na areia a placa de Cuidado Correnteza. Em pouco menos de 1 minuto ele pede para uma moça segurar os óculos escuros e cai no mar. Uma série de vagalhões prende uma moça na correnteza e a arrasta. Todos na areia levantam para ver. Os vagalhões não cessam...O salva-vidas é levado junto com a moça, ele gira a camisa vermelha - código para o helicóptero. Em 5 minutos são resgatados: o mar hoje não estava para peixe. O Brasil não está para peixe, mas tenho certeza de uma coisa, apesar de toda a correnteza de falta de ética, falta de moral e corrupção, podemos sair dessa maré e fazer do dia algo melhor e diferente, basta lutar. Basta acreditar e lutar pelo futuro do país.

Before I die



Em Nova Orleans, uma casa abandonada foi transformada em mural coletivo, aonde as pessoas podem expressar seus votos de esperança, incentivo, desejos futuros.Excelente idéia!

14 de abril de 2011

Chácara Tropical (4)

Síndrome dos tempos modernos...


Eu já tinha escrito antes sobre o não dormir. Sobre os sonhos acho que não, até porque não sonho ou ao menos não me lembro. Mas não vou falar de sonhos. Vou falar agora de algo que parece uma insônia, mas na verdade  é um estado de não dormir.Começa assim: você chega em casa, anda com o cachorro, encontra pessoas na rua, volta para casa, come alguma coisa, bebe alguma coisa, senta no computador e simplesmente não desliga...como assim não desliga? Não desliga...a gente se pluga e fica pendurada ali na tela do laptop ou do iPhone e não desconecta. As coisas acontecem em volta e a gente quase não percebe. Só percebe quando o cachorro late para te chamar a atenção. Quando finalmente a gente se desliga, se afasta das máquina, e vai dormir, aparece uma tela no nada, no espaço vazio. No escuro, conexões, linhas, imagens, textos, infográficos (eu adoro infográficos) - tudo aparece na sua frente, menos o sono ou sonho. Levanta, bebe água, faz carinho no cachorro, deita de novo. Levanta, acende a luz, pega uma revista, lê um pouco. Tudo bem, dá um cochilo, mas é tão rápido que nem parece que dormiu. Sinto inveja, branca, da Neve, ela dorme, ronca,até late enquanto dorme a fofa. No meio disso tudo, o mundo se acalma e fica em silêncio - é nessa hora que os insights aparecem e aí...tentação de pensar nos projetos, escrever, trabalhar - levanta e volta para a máquina. Se eu morasse em outra vizinhança, sairia de bicicleta à noite, iria para a academia malhar - quem sabe assim ficaria exausta e cairia dormida. Considerações à parte, a energia das máquinas suga nossa energia vital  e nos afasta da tranquilidade do sono. Viramos zumbis ou entramos na matrix? Será que isso tem jeito? Isso é semelhante a chegar numa festa, num almoço, num jantar ou evento e ao invés de conversar com as pessoas, você simplesmente tira o celular da bolsa e começa a teclar, conversando sozinha com o outro lado, mas essa é uma outra história...

11 de abril de 2011

Redes Sociais - Matéria Elle Brasil (P2)


(clique na imagem para ampliar)

Matéria  escrita por Luisa Costa e Michaela Von Schmaedel 
para edição ELLE BRASIL Abril

Redes Sociais - Matéria Elle Brasil (P1)


(clique na imagem para ampliar)

Matéria escrita por Luisa Costa e Michaela Von Schmaedel
 para edição ELLE BRASIL Abril, Página 200-202)


10 de abril de 2011

Uma delícia de pão: La Bicyclette


Hoje passamos lá: eu, Bel e Valéria. Há mesas em área externa e um mesão no interior. Os pães, ulalahhh, uma delícia. Bolo de maçã com nozes, imperdível. Vale a pena marcar um sábado ou domingo e tomar café lá, ao ladinho do Jardim Botânico. Para completar, música de bom gosto e agradável, além dos donos e filhos trabalhando juntos. Adorei :o) Visite o site também, clique aqui. Agradeço Valéria Machado e Isabel Vidal pelo aprazível programa de domingo pela manhã -inciado com uma visita à Chácara Tropical. 

Joni Mitchell

Alguma semelhança entre Branquinho e Neve?

O que vocês acham? Eu acho que pode ser o papai dela.

8 de abril de 2011

iPhone e seus apps...


Eu tinha consultado alguns amigos sobre a compra ou não de um iPhone - disseram que era complicadíssimo para uma mulher. Bom, acreditei. Tinha feito a escolha pelo Samsung Galaxy. Mas, por caminhos misteriosos, acabei comprando um iPhone e descobri o seguinte: é muito fácil operar! Está aprovado! Posto comentários e fotos no Facebook, no Twitter, envio fotos...os aplicativos são de todos os tipos. Eu procuro os FREE. A única coisa chata é o cadastro na AppStore - precisa de cartão crédito, mesmo que não vá comprar os apps. Resolvido isso, o céu é o limite. Falando em céu, tenho que encontrar o aplicativo iPad que Admário Braune usa em Astronomia :o)

7 de abril de 2011

Silêncio pelos Inocentes...


humanos ou não, mortos todos os dias nas grandes e 
pequenas cidades do Brasil e do mundo.

6 de abril de 2011

Ser do Bem como a Monja Coen (2)



Foto: Veronica Campos

Quando voltei ao Brasil, depois de residir doze anos no Japão, me incumbi da difícil missão de transmitir o que mais me impressionou do povo Japonês: kokoro. Kokoro ou Shin significa coração-mente-essência. Como educar pessoas a ter sensibilidade suficiente para sair de si mesmas, de suas necessidades pessoais e se colocar à serviço e disposição do grupo, das outras pessoas, da natureza ilimitada?

Leia texto completo aqui.

1 de abril de 2011

Pequeno e Potente


Voltei a usar o meu Sony Vaio e descobri que os fones, algo que eu nunca tinha usado antes, funcionam que são uma maravilha.Provam que são Sony. Sempre tenho resistência em utilizar fones pois acho ser são a expressão máxima do individualismo - não compartilhamos o que ouvimos. Mas, me rendi...um pouquinho.

Criativity (6)

Return to Innocence