17 de novembro de 2011

Batalha Diária em Busca do Bem


Nestes últimos dias, venho acompanhando uma série de eventos trágicos e fatais com animais. Os autores desses atos: os humanos. Cão arrastado, cão queimado, cão espancado, gatos abandonados, gatos espancados, cavalo morto com ponteira de pedreiro, animais silvestres desnutridos, roubados, carregados em caixinhas. Parece que o mundo está despencando numa avalanche impossível de conter. Nosso Titanic está indo em direção ao seu iceberg. Numa tentativa desesperada de conter os fatos, amigos e conhecidos empreendem atos de indignação, manifestações, vigílias. Eu pratico mantraterapia e o não-ter-raiva dos meus semelhantes. Tento espalhar nas redes energias boas que possam chegar aos ouvidos de monstros para que nestes Buda desperte. Pois assim dizem as escrituras: todos nós temos o bem e o mal, assim como o estado de Buda dormindo dentro de nós. Tento não desanimar. Tento animar os companheiros de batalha e luta. Não pensem que esquecemos das pessoas, que somos egoístas em pensar apenas nos animais. Eu ajudo pessoas. Eu dou sangue para pessoas. Além de mim, muito mais gente dá. Por isso me engajo nas causas animais, pois pouca gente se engaja. Aliás, hoje, lamento dizer, pouca gente se engaja em algo...até mesmo em ajudar gente. Começo a temer o meu semelhante. Não é a internet que me prenderá em casa, mas o outro. O outro que eu não sei o que pensa, o que quer, o que esconde.

Nenhum comentário: