26 de outubro de 2011

O tempo passa...e a gente precisa se cuidar

A gente às vezes vive a vida como num recreio constante, correndo a esmo, de repente levando um tombinho e ralando o joelho - não era assim mesmo que acontecia na escola? Aos 35, 36 anos, negligenciei a água em meu organismo. No que deu? Uma crise renal com uma pedrinha expelida, ufa, dor fenomenal aquela. Depois, foi a vesícula que começou a reclamar, por causa da gordurinha da picanha que eu adora comer. Humm, nunca mais cometi tal sacrilégio. De tanto trabalhar no computador, tenho me sentido exaurida - comecei a tomar complexos vitamínicos com ginseng. A vitamina C tomo mês sim e no outro também. Não posso reclamar, não tenho ficado resfriada. O que me mata é a sinusite, por isso mudei para um bairro mais quente, para sofrer menos crises de sinusite...está funcionando. Subo uma ladeira todos os dias, aliás eu e a Neve. Subimos bem...bom, às vezes a Neve se cansa e senta. Mas é um bom exercício. Por causa disso, comecei a abusar da comilança de novo. A vesícula e o fígado reclamaram. Resultado: alcachofra composta. Enfim, arrumei na cozinha um canto com as vitaminas e fitoterápicos que agora fazem parte da minha vida mais constantemente. Para completar, permiti que um novo objeto entrasse no banheiro: uma balança. Pelas minhas contas, devo perder 8 quilos. Com disciplina consigo, nunca tive medo de fazer dietas, na verdade, raramente fiz dietas. Esse é um novo desafio :o)

2 comentários:

Vilma Goulart disse...

Nélida,

O desafio tem de ser ficar menos tempo conectada. (rsss)

Nelida Capela disse...

Quando a gente trabalha com isso, fica mais difícil, mas pelo menos estou entrando no caminho da disciplina, vamos ver se vai dar certo, rsss.