30 de setembro de 2010

Andrew McAfee no Brasil


Mais informações aqui.

Studies (3)


McLuhan, Barabási, Negri, Di Felice, Hardt, Castells, Tapscott, Epstein, Sinclair, Mansell, Serrano, Fidalgo, Bateson, Miège, Harvey, Morin, Wolf, Kerckhove, Nassar - Estes são os donos do meu tempo, os homens  da minha vida. A eles entrego o meu futuro.

29 de setembro de 2010

Riding Life (1)


Cavalgar a vida é fazer dela algo interessante, todos os dias, sem exceção.  A cada 24 horas, é necessário reinventar-se, sair do tédio, criar uma aventura, sair da zona de conforto. Essa missão merece sucesso. Nós empreendemos ações para o sucesso. Individualmente e em coletivo. O resultado depende de nós, pois no fundo a intenção e o gesto precisam tornar-se realidade! Essa é minha inspiração, todos os dias. Pois um dia não pode ser igual ao outro. E para você?

23 de setembro de 2010

Direção Segura (1)


Antecipar, imaginar o que pode acontecer, se colocar no lugar do outro são medidas que podem evitar muitas tragédias, constrangimentos, acidentes. Imagine que na sua frente pode surgir uma criança, um cachorro, um cavalo, outro carro. Direção segura nas ruas, nas estradas, na vida.Fonte do vídeo: o Twitter da Cora Rónai. Sigam @cronai . Eu recomendo!

Ela chegou: Primavera!


É com muita felicidade que saúdo um dos melhores períodos do ano, para a minha consciência interior. Época de nascimento, de florescimento, de frutos. O tempo começa a ficar mais aquecido, eu que adoro sol e dele preciso me alimentar. Mais adorável ainda é lembrar que em seguida virá o Verão e o sol em toda a sua plenitude. A todos e todas, campos de margaridas ! Minhas avós, já falecidas, uma portuguesa e outra argentina, faziam aniversário nesta época, ambas de Libra. Não há nada mais sagrado na vida do que a família, mas isso a gente só descobre quando é mais velha. Do pó ao pó, e nas margaridas vejo ambas renascidas. Feliz Aniversário, queridas!

21 de setembro de 2010

Vrikshásana, a postura da árvore


Quando costumava praticar a Kundalini Yoga, uma das posições que mais gostava era a Vrikshásana, que é um dos primeiros ásanas. Ficar sobre um pé só, em equilíbrio, exposto aos elementos da natureza, fazia parte da prática yogika dos rishis (sábios) vêdicos. Particularmente, para mim, significava ficar de pé diante da vida, integrada aos elementos, apesar de todas as diversidades do mundo externo. Naga-Asana, ou Bhujanasana, era outra posição favorita, a posição da cobra. Com ela, aumentava a força e a flexibilidade da coluna e massageava os órgãos abdominais. Agora, nessa vida louca, de exercícios cerebrais intermináveis, o que me salva é a bicicleta.


Leones


Mais de uma vez escrevi isso aqui, quando cresce uma sombra de escuridão dentro de mim, um certo desânimo ou cansaço, não tenho a que recorrer a não ser a eles: leones. Não sou adepta da terapia xamânica, que trabalha com aliados, mas acredito nos estudos que remontam os antigos egípcios que diziam que os leões carregam a medicina do poder e da saúde. Para equilibrar mente e coração, emoção e intelecto, consciente e subconsciente, a luz e a escuridão. Liderança, força, poder, prosperidade, vitalidade, destemor, inteligência.

13 de setembro de 2010

11 de setembro de 2010

7 de setembro de 2010

A Bicicleta Dobrável

Emma Livingston


O Ateliê da Imagem Espaço Cultural apresenta até o dia 22 de outubro, Paisagens Interiores, primeira exposição no Brasil de Emma Livingston, fotógrafa inglesa, radicada na Argentina, vencedora do prêmio Meeting Place Discoveries do Houston FotoFest. A curadoria é de Claudia Buzzetti.

5 de setembro de 2010

Breakfast at Das LuLuzinha Klub

Aconteceu, no Atelier de Marilia Martins, sede do Das Luluzinha Klub, o nosso breakfast. Uma das convidadas: Das Luluzinha Chair - criação de Marilia Martins (porta de Alice ao fundo). Menu: café, sucos, bolo de cenoura e pão especial de Hilda Armstrong, biscoito de nata de Claudia Sardinha, frutas de Vilma Goulart, croissants e geléia de Isabel Vidal e Valeria Machado, frios e queijos de Nelida Capela. À Marilia Martins e Dora, mãe de Marilia, meu muito obrigada por nos receber numa casa tão deliciosa de pessoas tão especiais! Danke!

Sonoridades from Iceland: Emiliana Torrini

4 de setembro de 2010

Voyage d´Hèrmes


Aroma é tudo: felicidade, impulso, energia, liberdade de espírito, criatividade. Vida sem perfume não tem charme. E, como diria Deleuze, se você não tem charme, você está morto. Aroma me lembra também a minha infância, repleta de aromas trazidos na bagagem da minha Avó Nelida, que rodava o mundo sem parar. Para esta nova fase da minha vida: Voyage d`Hèrmes !

Luminária LEGO

Vou tentar garantir uma!

3 de setembro de 2010

Dimanche et Dejeuner


Neste domingo parece que tem dejeuner da DasLuluzinha, grupo de amigas de Laranjeiras e Cosme Velho. Ainda estamos confirmando o evento, pois sabe como é quando se junta um monte de mulher para resolver algo: demora! Hoje é sexta, mas já estou pensando no domingo, dia de folga para pegar solzinho e ar marinho. Bom feriado para todos e todas!

1 de setembro de 2010

Always Gardot, Melody Gardot!

Já publiquei vídeos da Gardot aqui antes, mas nunca é demais trazê-la para o Olhar Nômade, para alegrar o dia de trabalho! Mesmo que repetidas vezes. Aproveite uma pausa no trabalho!Ouça música!


O Futuro?


Na minha cabeça, desejar algo nunca foi difícil ou impossível para mim. Quando desejava algo, pensava muito e acontecia. Não era passe de mágica, não. Era uma mistura bem equacionada de desejo, iniciativa e atitude. Mas isso funcionava há  tempos atrás. Quando a gente é mais jovem, esse tipo de artifício funciona. Hoje, aos 40 anos, vou te dizer: o buraco é mais embaixo. Aprendo que querer não é poder. A não ser que você passe por cima de tudo e de todos. É só deixar o lado negro da força surgir... Mas não vale a pena, vale? E o que me trouxe a este monólogo aqui? Eu estava no Twitter - lugar muito interessante, vocês deveriam visitar - quando avistei na minha TimeLine um artigo da Eliane Brum chamado "Ninguém quer o futuro". Opa, esse negócio aqui é profundo...e é mesmo. O texto começa assim: 

"No passado, havia um futuro. Cresci acreditando que o futuro seria um tempo melhor. Meus pais cresceram acreditando que no futuro haveria um mundo melhor. Minha filha começou a duvidar do futuro. Meus netos possivelmente temerão o futuro. Não é uma mudança pequena. Não consigo avaliar com precisão o quanto isso nos modifica, mas escuto e olho e percebo que nos transforma. E imagino que seja uma transformação profunda. Esta vida em que preferimos não ter nenhuma representação de futuro. Já que qualquer representação baseada na realidade prevê a possibilidade do nosso fim. Não mais um fim do indivíduo, com a morte que nos aguarda a todos, mas o fim da espécie." Leia texto na íntegra aqui.

Eu fico aqui pensando: o futuro, assim como o misterioso e o incerto, sempre assustaram a humanidade. Mas o que, na minha opinião, assusta mesmo, é fazer parte da construção dele, quer queira, quer não. A gente não pode dizer tal como a Xênia (alguém ai lembra da Xênia?) "Pára mundo, que eu quero descer!" A gente tem que seguir adiante, faça chuva ou faça sol. Mas por quê ler o texto de  Eliane Brum? Porque é ótimo e vai além. Cita Viviane Mosé, por exemplo; fala do mundo que vivemos hoje; fala da vida; fala da oportunidade de sermos melhores!Isso me lembra Borges. Mas no próximo post voltamos a ele.