24 de dezembro de 2010

Mesmo no suplício do papai Noel... lembrando Lévi-Strauss*

ainda posso desejar um  Feliz Natal...


*vale a leitura de O Suplício do Papai Noel, editado pela Cosac Naify

Um comentário:

Nelida Capela disse...

É assim que o antropólogo francês se refere à “vasta experiência de difusão” dos ritos de Natal (apontada por alguns como influência simples e direta dos Estados Unidos no mundo pós-guerra), mas para reinseri-la numa problemática que afasta entendimentos simplificados e mesmo enganosos. Nada de vestígios ou sobrevivências em contextos culturais assim tomados como passivos e amorfos; o caso da figura do Papai Noel “exprime uma disposição afetiva que já existia, só não dispunha de meios de expressão”, diz o cientista.

texto da editora Cosac Naify.