15 de outubro de 2010

Brevidade da Vida


Hoje, foi mais um dia daqueles em que a gente lembra da brevidade da vida. Fazemos o que podemos para vivê-la da melhor forma possível. Procuramos equilibrar as metades do bem e do mal, inerentes a todo ser humano. Procuramos amar, mesmo que o jeito de amar não responda às expectativas, mas amamos. Plantei uma árvore, fiz um filho, escrevi um livro? Plantei árvores, muitas. Livros? Escrevo todos os dias. Filhos? Ficarão para a próxima vida. Eu tento viver o melhor possível todos os dias. E quando a vejo da janela, eu digo a mim mesma: "faça mais e melhor! Faça agora, não deixe para fazer depois, dizer depois". In memorian da  minha avó Nelida, que não pude nem enterrar, nem cremar. In memorian de Gilberto L. Duro, cremado hoje. In memorian de Miriam Braune, que será cremada nas próximas horas. 

Nenhum comentário: