28 de julho de 2010

Miguel Torres - San Medín

Antes de começar este post, preciso agradecer a fortuna que a vida me dá em recompensa às ações que cativo. Tal como o vinho, a vida amadurece. Nestes 40 anos completados recentemente, a maior lição que aprendo é a gratidão, pelo que me fazem de bem, pelo que me fazem de mal. No fundo do Samsara, é tudo Dharma. Bom é enxergar. Namastê!
Voltando ao mundano...ganhei da Marcia Veras esta boteja de vinho tinto, ano 2006, sempre meu preferido. Parte da renda da compra deste San Medín, padroeiro protetor dos agricultores, vai para o Fundo de Conservação do Condor Andino. A casa é hispánica-chilena, funde a tradição espanhola com a tradição dos índios Mapuche. Repare nos símbolos do rótulo, são inscrições do Antigo Calendário Mapuche: Ar, Água, Fogo e Terra. Para onde a roda da fortuna vai? Quem sabe em novembro será aberta a garrafa para uma comemoração? Enquanto isso, rodo mundo para que a realidade aconteça.

3 comentários:

Anônimo disse...

Nélida,
Parabéns!!! Que a nova idade te traga muita sabedoria e bons vinhos.
Abraços,
Karina K

Nelida Capela disse...

Obrigadíssima, querida Karina!!!!

Rita Braune disse...

Nelida,

Que bela reflexão, que lindo texto !
Parabéns pelos 40 anos mais uma vez!
Beijos