29 de agosto de 2009

Guia Ilustrado Zahar Cerveja para o Olhar Nômade

Uma das coisas boas da vida é experimentar novos sabores. Acaba de sair pela Jorge Zahar o Guia de Cervejas. Uma delícia passear pelo mundo e suas cervejarias e ainda por cima conhecer os pratos servidos nas diferentes regiões. Por exemplo, Duvel com mexilhões cozidos no vapor - hummm...vamos experimentar? Outra coisa curiosa de ler, é o nome das cervejas: Duvel (diabo na língua flamenga), Magic Hat 9, Little Creatures (por que será?), Barbaroja, FatDog Imperial, e por aí vai. O guia traz os rótulos, que também é bem interessante de se ver. Aproveite, será uma leitura agradável. O autor do guia é...Michael Jackson...não, ele não morreu!

MilkBom

Adorei este presente de Leila Victor e Rosana Sanchez. Além da embalagem adorável - detalhe da vaquinha -, o requeijão é delicioooossoooo!

26 de agosto de 2009

O Fenômeno Duas Luas de 27 de Agosto de 2009

Recebi da Rosa Sadra e da Sandra Signoretti a informação sobre o fenômeno das Duas Luas que ocorrerá amanhã - já previsto pelos Mayas em suas profecias. Informação nunca é demais, minha gente !
O Planetário Internacional de Vancouver, da British Columbia - Canadá, calculou a precisão em que Marte estará orbitando perto da terra. Será no dia 27 de agosto de 2009. Todavia, o mais interessante de tudo é que isto estava previsto em um código Maya, encontrado na piramide ao lado do Observatorio Estrelar em Palenque, Chiapas -México. Com este cálculo matemático Maya, agora os Mayas estão sendo vistos como os gregos da America, e orgulho da Guatemala. Pelo menos, quatro ou cinco gerações da humanidade não voltará a ver este fenomeno natural, e poucas pessoas sabem até o momento, embora tenha sido noticiado em 11 de maio de 2009. Duas Luas no Ceu No dia 27 de Agosto, a meia noite e meia, olhe para o céu, O planeta Marte será a estrela mais brilhante do céu, e será tao grande quanto a lua cheia, e estará a 55,75 milhões de kilometros da terra. Será como se a terra tivesse duas luas, e este acontecimento só se produzirá no ano de 2287.

Chuva (3)

Plantas gostam de chuva.
Árvores adoram chuva.
Animais precisam de chuva.
Eu detesto chuva !

Colorado

Adorei o rótulo da Cerveja Colorado, uma graça o urso. A cerveja também é gostosa, mas deixo bem claro, não quero fazer apologia de bebidas alcóolicas.

25 de agosto de 2009

Coragem para Descobrir

Direto do Blog Samsara - Um Olhar para Dentro
Às vezes penso que não queremos fazer perguntas verdadeiras para saber quem somos, por medo de descobrir que existe uma outra realidade diferente desta. O que essa descoberta faria da maneira como vivemos até agora? Como nossos amigos e colegas reagiriam ao que agora sabemos? Que faríamos com esse novo saber? Com o conhecimento vem a responsabilidade. Às vezes, mesmo quando a porta da cela se escancara, o prisioneiro prefere não sair. Sogyal Rinpoche (Tibete, 1947 ~) "O Livro Tibetano do Viver e do Morrer", 1 |4

O Gato e o Guarda-Chuva

Foto de Katia Ferraz enviada ao Olhar Nômade. Uma delicadeza, vocês não acham?

Livros pelas paredes

Achei a idéia bem legal. Se pintar um tédio, basta ler as paredes.

24 de agosto de 2009

21 de agosto de 2009

Vamos Cultivar ?

Cultivar é um desafio. Seja cultivar plantas, flores, amizades, animais de estimação, vida! O livro acima, de José Arimateas da Silva e Lisandre Figueiredo de Oliveira, refere-se a cultivar ervas, plantas, flores. Eu adoro! Faz um bem para a cabeça, para o coração e para o corpo, pois em contato com a terra acabamos por nos curar. Agora, por exemplo, acabo de plantar um pé de lichia (árvore e fruta que eu amo!). Estava no terreno da Rita Braune olhando para o campo verde e sentindo e calculando onde ela, a árvore, se sentiria bem, levando em conta que ela crescerá e terá vizinhos (outras árvores e pessoas). Ao deixá-la senti que, aos poucos, vou espalhando vida pelo meu caminho. É tão bom sentir isso. O coração fica alegre. Obrigada, Rita Braune, por deixar plantar minha querida árvore em suas terras. Foto do livro tirada pelo N6120 na Livraria Timbre.

Vocês lembram disso?

Desculpem a falta de definição da foto, mas imperdível este registro. Vocês lembram desse cupom de balcão ? Raridade !

Mimo (2)

Ganhei da Ana Perin, minha velha amiga dos tempos de Livraria Timbre, este mimo simpático. Coloquei-a na hora no meu chaveiro, junto com meu fouet. Ambos me acompanham na bolsa - só assim não perco as chaves da minha casa, da outra casa, da outra casa, do escritório, da livraria. Só não sei ainda qual será o nome dela. Alguma sugestão?

20 de agosto de 2009

O Quarto Azul

Há alguns anos atrás, conheci uma artista estrangeira que tinha em sua bela casa de campo um quarto azul. Achei aquilo muito interessante, tratando-se do azul uma cor que tem lá as suas significações astrais... Daquela casa, guardei na memória o quarto azul, a cozinha - que era um mundo pois possuía uma mesa que acomodava confortavelmente umas 20 pessoas, sem exagero - os pessegueiros lindos na estação da floração, a água que atravessava a propriedade e a nostalgia das festas e do pátio que guardava as pessoas nessas ocasiões. Às veses a vida parece um filme de tão inacreditável os momentos vividos. A memória passa a ser o livro aberto, que sem censuras nem ressalvas revela estórias afetuosas, à nossa revelia consciente. A força do azul, na verdade, traz à tona minha lembrança mais feliz - como o mágico que retira o coelho da cartola.

Para adultos entediados (1)

Se você chegar a este ponto, te dou a seguinte sugestão: páginas do Caderno de Rabiscos.

Olhar Nômade recomenda a leitura de Cora Ronai

Recomendo a leitura de Cora Ronai pois ela nos faz repensar a evolução e performance nas redes sociais e digitais.

Serão os blogs uma espécie em extinção?

As várias formas de comunicação oferecidas pela internet são elementos em constante mutação. Esses elementos se sobrepõem uns aos outros e até convivem durante um bom tempo, mas a evolução natural do meio faz com que, aos poucos, a "paisagem" da rede se transforme. O email, por exemplo, já é uma ferramenta no mínimo gasta, para não dizer ultrapassada. Vai desaparecer? Duvido, mas será cada vez menos relevante. Parte considerável do movimento dos blogs tem migrado para as redes sociais, sobretudo o Facebook, que não tem a "amarra" de 140 caracteres do Twitter, permite comentários, brincadeiras e a inserção, na mesma página, de imagens e videos. Pensando bem, o Facebook nada mais é do que um gigantesco blog, escrito simultaneamente a milhões de mãos. O Twitter, por sua vez, definido como microblog, está mais para quadro de avisos, de onde se apontam os textos, filmes e fotos que chamaram a atenção dos usuários. É, porém, imbatível para informações curtas e rápidas. Um não anula o outro, pelo contrário: no Twitter a gente dá um alô apressado, no Facebook a gente senta para conversar. O crescimento das redes vem sendo apontado como o fim dos blogs. Ainda que não concorde com essa previsão, não tenho dúvidas de que, com a popularização do Twitter, do Facebook, do Flickr e de tantas ferramentas semelhantes, os blogs mudarão de estilo e de jeito de ser. É provável que passem a funcionar como bases complementares das redes sociais ou, eventualmente, repositórios do "conjunto de obra" dos seus autores. Imagino que, cada vez mais, passem a exercer o papel que antes cabia aos websites pessoais, sendo consultados para saber com quem estamos falando. Manter um blog complexo, com posts diários e várias caixas postais movimentadas, é uma trabalheira insana; manter um blog assim e, ao mesmo tempo, ter presença notável nas redes sociais, chega às raias da impossibilidade física. Twitter e Facebook têm, para os blogueiros sérios, a vantagem do tempo parcial. Não são ocupações que tomam as 24 horas do dia e são, ainda assim, formidáveis canais de comunicação, capazes de atingir um número substancialmente maior de leitores. Para quem está acostumado a acompanhar um ou outro blog e a trocar idéias com os demais habitués dos comentários, a mudança será sentida num primeiro momento. Em vez dos pequenos blogtequins com meia dúzia de especialidades, passarão a frequentar um grande Lamas virtual, um vasto espaço onde todo mundo se encontra e onde o cardápio é o mais variado possível.

19 de agosto de 2009

Casa de Vidro

Projeto de Lina Bo Bardi.

Mimo (1)

Eu adoro borboletas, portanto, amei este mimo que me foi dado por Bibi Jacques. Essas borboletas são para lacrar embalagens ou prender itens. Uma dica que a Bibi deu foi usá-las também para prender bilhetes. Achei a idéia muito criativa!

Rabugento ou Muttley (2)

Adoro essa risada. Lembram? Assistam essa edição para rever.

18 de agosto de 2009

Saiba mais sobre o Twitter (1)

Assista o vídeo e saiba como tirar mais proveito do Twitter.

Carrancas (1)

de Lina Bo Bardi - Salvador - Brasil

Palavras

A palavra Serendipidade se origina da palavra inglesa Serendipity, criada pelo escritor britânico Horace Walpole em 1754, a partir do conto persa infantil Os três príncipes de Serendip. Esta história de Walpole conta as aventuras de três príncipes do Ceilão, atual Sri Lanka, que viviam fazendo descobertas inesperadas, cujos resultados eles não estavam procurando realmente. Graças à capacidade deles de observação e sagacidade, descobriam “acidentalmente” a solução para dilemas impensados. Esta característica tornava-os especiais e importantes, não apenas por terem um dom especial, mas por terem a mente aberta para as múltiplas possibilidades. Serendib é o nome que os comerciantes árabes da antiguidade deram ao Sri Lanka (um entre vários nomes dados a esta ilha através de sua história, sendo que os cartógrafos gregos antigos a chamavam de Toprobane; já o atual nome do país significa Terra Resplandecente no idioma sânscrito, conforme registrado nos antigos épicos indianos Mahabharata e Ramayana; finalmente, com a chegada dos portugueses, a ilha recebeu o nome luso de Ceilão, do qual deriva a versão inglesa Ceylon).
Fonte da informação sobre a palavra: Wikipedia

16 de agosto de 2009

Escreva...

a sua história nas páginas do seu livro. Cada um de nós é um livro. Muitas são as histórias, as epopéias a contar. Lembram quando ouvíamos que cada ser humano deve ter um filho, plantar uma árvore ou escrever um livro? Eu não esqueci! E você?

Retrovisor (4)

Travessia Rio-Niterói.
Foto Htc

15 de agosto de 2009

Tito - Meu Índice FIB

Desde que ganhei Tito de aniversário, não saio de casa sem ele. Levo-o sempre comigo, para cima e para baixo. Chego no trabalho, coloco a mochila na mesa e abro-a. Tito surge de seu interior, trazendo incentivo para as mobilizações do dia - que são muitas. Quando o clima está tenso, faço carinho em sua cabeça. O leãozinho me dá ânimo nas horas mais difíceis. E nos momentos de prazer também. Ele faz parte da minha história. Valorizar a minha história é uma das atitudes do meu projeto individual de FIB. Quando olho para esse leãozinho, minha felicidade aumenta. Quer conhecer outras dicas FIB? Clique aqui.

13 de agosto de 2009

Que lindinha!!!!!

Childhood

Super Dínamo para Luize Valente:

Salada da Katita

A rúcula é especial, comprada na feira livre - vocês ainda sabem o que é isso? Na barraca da portuguesa, a patricia. Não, o nome dela não é Patrícia. A receita da Salada da Katita, que eu, Patricia Hubbard e Rita Braune tivemos o prazer de experimentar, é feita de rúcula, alface e cenoura. Para servir, pegadores africanos, que no meu imaginário parecem duas patas de guepardo, a famosa Pantera Cheetah. A foto acima é da própria Katita. Nesse mesmo jantar, experimentamos também o Escondidinho - uma delícia !

Pedra do Navio (2)

Debaixo da Pedra do Navio.
Rio Bonito de Lumiar - RJ

12 de agosto de 2009

Matisse (1)

Why have I never been bored?
For more than fifty years I have never ceased to work.
- Matisse -

Moringa (1)

Flores e Pássaros da Imaginarium.

Elementos Gastronômicos (1)

Aqui temos, direto do Mercado Gama de Mury, molho de tomilho, alecrim e ciboulette, abobrinha baby, tomates, couve flor e tchan tchan tchan tchan brocolo romanesco - brocólis com flores em forma piramidal. Terá sido inventado por algum agronômo ou designer japonês?

11 de agosto de 2009

Receita Rápida para Creme de Couve Flor no Pão Italiano

Creme de Couve Flor
Para duas pessoas
1 couve flor inteira
1 envelope de creme de queijo instantâneo
2 pães italianos inteiros
cebola
noz moscada
queijo parmeggiano
sal
salsa
Antes de cozinhar a couve flor, retire as folhas verdes e deixe-a de molho em água com um pouco de vinagre. Cozinhe a couve flor, mas não deixe cozinhar demais. Depois de cozida, corte algumas flores para ornar o prato ao final. Passe no liquidificador o restante junto com o talo e com um pouco da água do cozimento. Reserve. Numa panela, refogue no azeite um pouco de cebola cortada em cubinhos e a salsa picada. Junte um pouco de noz moscada e sal. Acrescente o creme de queijo e um dedo de água da couve flor. Mexa a mistura. Depois de três minutos, acrescente o creme da couve flor que ficou reservado. Depois de levantar fervura, deixe mais uns três minutos. Experimente para saber se a consistência e o sal estão ok. Abra o pão italiano no topo, com um corte redondo. Retire um pouco do miolo do pão de modo que possa acomodar o creme em seu interior. Sirva o creme dentro do pão. Coloque as flores reservadas. Polvilhe queijo parmeggiano por cima. Coloque o pão numa assadeira e deixe gratinar no forno. Retire e Bom Apetite!
Obs: Os tempos informados são estimados, podendo variar de acordo com a potência de cada fogão/forno.

Sopa no Pão Italiano

Que tal ?
Sugestão de receita: Creme de Couve Flor.
Receita ainda hoje, aqui no Olhar Nômade.