27 de outubro de 2009

Leitura Nômade

Há alguns anos atrás iniciei minha leitura de Sobre o Nomadismo, de Michel Maffesoli. Interrompia-a por conta de outros estudos, talvez tenha sido na época do meu mestrado. Mas, nunca foi tão importante reler e terminar a leitura deste livro. Replico, abaixo, texto da editora que esclarece um pouco das idéias de Maffesoli Sobre o Nomadismo.
"A preocupação com uma vida marcada pelo qualitativo, o desejo de quebrar o enclausuramento e o compromisso de residência próprios da modernidade são como momentos de uma nova busca do Graal, representando outra vez a dinâmica do exílio e da reintegração." Michel Maffesol, sociólogo francês, é um autor dionisíaco na vida real. Imprime ao texto de sua pesquisa e reflexão um estilo e elegância inconfundíveis. SOBRE O NOMADISMO não é diferente. Neste ensaio, o sociólogo francês oferece uma chave para o entendimento da formação de agrupamentos musicais, festivos, lúdicos ou dos mais diversos grupos sociais que se formam na cena contemporânea, citando uma de suas teorias mais conhecidas e discutidas - na opinião do sociólogo, a característica principal do fim de século foi a formação de tribos. A análise de Maffesoli procura escapar do individualismo como eixo da vida social na direção de formas concretas da existência. As teorias de Maffesoli procuram dar conta de uma época onde os valores flutuam e onde os papéis tradicionais se esfacelaram. SOBRE O NOMADISMO mostra que a fragmentação das sociedades corresponde a uma retomada da autonomia do indivíduo, que procura seu grupo, seu espaço no grupo, algo que corresponda a seus anseios, que tenha a sua cara e a sua atitude. Em SOBRE O NOMADISMO "Maffesoli propõe uma deriva sensível de análise sobre as formas do nomadismo como errância ''psicogeográfica'' que une o moderno ao antigo", revela o professor e também sociólogo Muniz Sodré. Ao acrescentar à multiplicidade arcaica dos deuses a pluralidade dos mundos por onde circula o nômade contemporâneo, leva à "explosão do indivíduo fechado sobre si mesmo e em oposição estrutural ao mundo como ele é", citando o próprio Maffesoli. Maffesoli prega uma sociologia afirmativa da vida. Em seus estudos "a tomada de consciência é uma entrada na coexistência - uma sociologia deveras aberta para o imaginário", revela Sodré. Ao interrogar-se sobre os fenômenos sociais do fim de século Maffesoli chegou ao nomadismo, um símbolo de nossa época - aquele que adota a vida nômade para si, que leva a vida errante, por escolha e consciência, e é feliz. Michel Maffesoli, professor na Universidade Sorbonne Paris V, é um dos fundadores do Centre d''Études sur l''Actuel et le Quotidien e vice-presidente do Instituto Internacional de Sociologia (I.I.S.). Publicou no Brasil, entre outras obras, A sombra de Dionísio, A conquista do presente, Elogio da razão sensível, O tempo das tribos, No fundo das aparências e A transfirguração do político.
Sobre o Nomadismo, de Michel Maffesoli, publicado pela editora Record.

Nenhum comentário: