6 de junho de 2009

Adriano Ramos-Pinto

Se eu pudesse ser uma bebida, eu seria o vinho do porto. De preferência, um Adriano. Na época de faculdade, na PUC-Rio, eu carregava uma garrafinha de Ramos-Pinto na pasta. Para me desinibir um pouco antes de apresentar os seminários, nada melhor do que um cálice. Eu não sou alcoólatra, mas era tão bom palestrar em inglês nas aulas de cultura americana depois de uma dose. O sotaque ficava perfeito! Coisas de universitária.

Um comentário:

lilly disse...

e se eu fosse bebida seria um licor de café...
tb não sou beberrona, ms vinho...licores, me gustam