27 de maio de 2009

Slow (1)

De vez em quando, preciso lembrar de que sou humana, de carne e osso, e parar um pouco. Desejava agora tirar umas férias, desligar, olhar para o horizonte, deitar na areia, ouvir o vento e o mar, quem sabe o gralhar dos pássaros. Respirar, esticar os braços, tocar grãos de areia, quem sabe contá-los sem me preocupar com o tempo. O mundo externo anda depressa demais. O meu tempo interno diz: easy, slow, devagar. Pára mundo que eu quero descer...não é isso que a Xênia diz? Pára um pouco tudo para eu descer do bonde e enterrar minhas mãos na terra, plantar árvores frutíferas, plantar ervas, sentir a vida. Ufa! Eu precisava desabafar. Respira, respira. Agora, levanta e anda! E vamos adiante.

Nenhum comentário: