30 de dezembro de 2008

2009, Muito Prazer !

Tudo bem que não acredito muito nesse calendário gregoriano, mas como estamos habituadas a ele...passemos pela porta de 2009 com muito prazer, com muitos amigos (de duas ou quatro patas), amor para o coração, coragem para as batalhas, música para alma, desejo para aguçar o olhar sobre o mundo nômade, consciência para iluminar a escuridão, saúde para o corpo e para o espírito e tantas outras coisas boas que não caberão nesta página.

29 de dezembro de 2008

Mais Música: Feist !

Caso não conheçam, baixem no LimeWire e não deixem de ouvir !
MushaBoom
Helping the kids out of their coats
But wait the babies haven't been born
Unpacking the bags and setting up
And planting lilacs and buttercups
But in the meantime
I've got it hard Second floor living without a yard
It may be years until the day
My dreams will match up with my pay
Old dirt road Knee deep snow
Watching the fire as we grow old
I got a man to stick it out
And make a home from a rented house
And we'll collect the moments one by one
I guess that's how the future's done
How many acres how much light
Tucked in the woods and out of sight
Talk to the neighbours and tip my cap
On a little road barely on the map
Old dirt road Knee deep snow
Watching the fire as we grow old
Old dirt road Rambling rose
Watching the fire as we grow well
I'm sold

27 de dezembro de 2008

Carla Bruni - L'excessive

Je n'ai pas d'excuse,
C'est inexplicable,
Même inexorable,
C'est pas pour l'extase, c'est que l'existence,
Sans un peu d'extrême, est inacceptable,
Je suis excessive,
J'aime quand ça désaxe,
Quand tout accélère,
Moi je reste relaxe
Je suis excessive,
Quand tout explose,
Quand la vie s'exhibe,
C'est une transe exquise
Y'en a que ça excède, d'autres que ça vexe,
Y'en a qui exigent que je revienne dans l'axe,
Y'en a qui s'exclament que c'est un complexe,
Y'en a qui s'excitent avec tous ces "X" dans le texte
Je suis excessive,
J'aime quand ça désaxe,
Quand tout accélère,
Moi je reste relaxe
Je suis excessive,
Quand tout explose,
Quand la vie s'exhibe,
C'est une transe exquise, (ouais).
Je suis excessive,
J'aime quand ça désaxe,
Quand tout exagère,
Moi je reste relaxe
Je suis excessive,
Excessivement gaie, excessivement triste,
C'est là que j'existe.
Mmmm, pas d'excuse !
Pas d'excuse !
Assista L'excessive

O que uma mulher de 38 anos carrega na bolsa ?

Em 2007 viajei muito pelo Brasil. Trabalhei em regiões distantes, algumas inóspitas. Por isso, me habituei a ter a bolsa pesada, carregada de itens de primeira necessidade como Tylenol, Ponstan, própolis, bicarbonato de sódio, sal de fruta, leite de magnésio, fios de carregadores, celular, computador, modem, pen drive, adaptador bluetooh, garrafa de água, livros, jornal, cadernetas, pinças, lixas de unha, perfume, creme para mãos, creme para rugas, creme para olheiras, sanduíche, tudo que você puder imaginar na bolsa de uma mulher. Na época de faculdade, era a mesma coisa, sendo que todo peso era atribuído aos livros que carregava para cima e para baixo.
Outro dia, estava com umas amigas na Praça São Salvador, num evento de artesanato promovido pela ATOAR. Saímos todas para almoçar e as meninas pegaram na minha pele por causa do peso da bolsa. Foi uma devassa, não seguraram a curiosidade, abriram a bolsa e tiraram coisas de todos os bolsos. Só não saiu o jacaré pois ele deve ter ido passear. Gente, carrego tudo mesmo. Tenho também lanterna, bússola, se bobear, até muda de roupa...vai que perco a bagagem entre Rio Branco e Porto Velho. Já imaginou?
E vocês, o que carregam na bolsa?

26 de dezembro de 2008

Que tal esta tenda?

Adoro vacas ! Quando vou para o campo, gosto de observá-las. Se tenho mais intimidade com o lugar, como costumava ter, chego perto delas e converso, dou capim gordura para comerem, passo minha mão na cabecinha delas. Tinha uma que atendia ao chamado por um assobio, ela chamava-se Maria Antonia. Linda! Bons tempos ! Por isso, adorei a idéia desta tenda com estampa de vacas. Nada mais natural. Posso até matar as saudades.

24 de dezembro de 2008

Estrelas de Adriana Calcanhoto

Estrelas
(Letra de Sergio Britto e Arnaldo Antunes)
Estrelas Para mim
Para mim
Estrelas
São para mim
Estrelas para mim
Estrelas
Estrelas
Para quê?
Para quê?
Para quê?
Estrelas para mim
Só para mim
Para mim
Para mim
Para mim
E a treva entre as estrelas
Só para mim

23 de dezembro de 2008

A Beleza dos Lobos, Simplesmente

Adoro lobos, leões brancos e amarelos, golfinhos, baleias, cavalos, águias.
Neste post, a hora dos lobos. Olhos, pêlos, solitude, força, atenção e natureza.

Sobre a Curiosa Teoria dos Seis Graus de Separação

Estudo revive teoria dos seis graus de separação Análise de mensagens instantâneas diz que 6,6 elos separam quaisquer 2 indivíduos.
BBC
Um estudo feito nos Estados Unidos concluiu que a teoria dos seis graus de separação - segundo a qual apenas seis pessoas separam você de qualquer indivíduo no mundo - pode estar correta, embora talvez sete graus seja um número mais exato.
Pesquisadores da Microsoft estudaram os endereços de pessoas que enviaram 30 bilhões de mensagens instantâneas usando o programa MSN Messenger durante um único mês em 2006. Quaisquer duas pessoas estão conectadas por, em média, sete ou menos conhecidos - dizem os especialistas.
A teoria dos seis graus de separação, criada na década de 1960, exerce fascínio sobre muitos, e inspirou um filme homônimo, dirigido por Fred Schepisi e lançado em 1993. Em 2006, no entanto, foi questionada por uma especialista e caiu em descrédito.
Em entrevista ao jornal americano Washington Post, um dos pesquisadores envolvidos no projeto Messenger, Eric Horvitz, disse que ele próprio tinha ficado chocado com os resultados.
"O que nós estamos vendo indica que talvez exista uma constante de conectividade social para a humanidade", disse Horvitz. "As pessoas já suspeitavam de que nós todos somos realmente muito próximos. Mas estamos mostrando em grande escala que esta idéia vai além do folclore".
Mito
O banco de dados usado por Horvitz e seu colega Jure Leskovec envolveu toda a rede de mensagens instantâneas da Microsoft - cerca de metade de todo o tráfego de mensagens instantâneas do mundo - enviadas em junho de 2006.
Para o estudo, duas pessoas foram consideradas conhecidas se tinham enviado ao menos uma mensagem instantânea uma à outra.
Tentando chegar ao menor número de elos da corrente necessários para conectar todos os usuários incluídos no banco de dados, os pesquisadores concluíram que a média era de 6,6 elos e que 78% dos pares poderiam ser conectados por sete ou menos pessoas.
A teoria dos seis graus de separação foi criada pelo psicólogo americano Stanley Milgram após uma série de experimentos conhecida como Small World (mundo pequeno) onde ele pedia a uma pessoa que passasse uma carta a outra, desde que essa outra pessoa fosse conhecida.
O objetivo era que a carta chegasse a uma determinada pessoa, desconhecida da primeira, que vivia em uma outra cidade.
Segundo Milgram, o número médio de vezes que a carta foi passada foi seis - daí a teoria dos seis graus de separação.
Em julho de 2006, entretanto, a psicóloga Judith Kleinfeld, da Alaska Fairbanks University, analisou as anotações da pesquisa original de Milgram e verificou que 95% das cartas não haviam chegado ao seu destinatário final.
Ela concluiu que a teoria dos seis graus não passava de um mito. Mas a equipe da Microsoft disse que seu estudo valida pela primeira vez, em escala planetária, a teoria de Milgram.
Fonte: G1

21 de dezembro de 2008

Paz, Beleza e Serenidade

Navegando na net, encontrei essa imagem num blog chamado Dear God. Isso mesmo. Há um blog chamado Dear God e cujo proposta é escrever para Deus, seja ele de que religião for. Gente, é meio estranho...mas, não posso julgar. Nós, seres humanos, somos tão...diversos. Cada um com sua necessidade e por aí vai. No post da foto em particular, a pessoa ora e escreve para Deus ajudá-la a encaixar as peças do grande quebra-cabeças da vida. Bom, parece ser a doença da humanidade hoje, e eu não me excluo. Aliás, alguém poderá se excluir disso?
Mas de fato, eu só queria mesmo trazer a imagem para o Olhar Nômade, já que adoro a aproximação com golfinhos e baleias. A imagem traz tanta paz, beleza e serenidade. Sentimentos para iniciar a semana, terminar o ano, iniciar um novo ano.

Vontade Radical em Munich

Já imaginou descer essas ondas?

19 de dezembro de 2008

Gosto Exótico 1

Sou uma pessoa um pouco exótica. Por exemplo, adoro sapatos diferentes. Usava muito o air-rift da Nike, que foi inspirado nos pés do antílopes, por isso o dedo separado. Havia um outro, da Nike também, que eu usava para correr na areia e no asfalto, inspirado nas patas dos camêlos. Uso inteligente da tecnologia da natureza. Ganhei um novo modelo do rift, mas para yoga, tenho usado muito pouco inclusive. Pouquíssimas pessoas usam o air-rift. Ele agora ressurge numa versão japonesa, com cadarços - achei bem interessante. Ainda não usei um klonpen, mas sempre fui tentada - lembro que minha avó trouxe da Holanda, mas não sei aonde foram parar. Azar o meu! Mas, a Melissa e a Triton fizeram uma versão lançada no Inverno 2008.

17 de dezembro de 2008

Para Sempre PlayMobil

Quem não lembra deles ?
Adoro até hoje !
Acho que vou colecioná-los de novo.

Cool Hunter Tips

Adorei esses aros iluminados. Deve ser a maior viagem vê-los rodando à noite, com essas cores, desenhos.

16 de dezembro de 2008

Caixote de Feira - do blog Coisa de Lilly

Eu divido um "apertamento" com o Theodoro, meu cachorro. Tô sempre dura, que nem côco, uma vez que ainda não resolvi essa questão (kármica) profissional na minha vida (mas 2009 vem aí, me aguardem!). A mobília tradicional me entedia, então, estou adorando essas idéias de pallets, caixotes e o que mais vier (sem exageros, claro!). Mesmo não tendo mais 20 anos, o fato de não me preocupar com que os outros irão pensar ainda faz parte do meu estilo de viver, me dá uma certa liberdade para tentar utilizar essas idéias digamos...alternativas. Publico o caixote que encontrei no blog coisadelilly. Do lado, Theodoro. Ele não é lindo?

Floating House

Não pude deixar de fazer um post dessa idéia...dos alemães. O projeto foi concebido por Flo Florian e Sascha Akkerman, da empresa Confused Direction - fiquei até desconfiada...com esse nome. Mas uma bússula ajuda, não é mesmo?

15 de dezembro de 2008

Buenos Aires Naranja

Quando estive em Buenos Aires, há alguns meses atrás, fiz um passeio muito legal pela cidade: de bicicleta. Nada de taxi, ônibus, metrô. Aconselho a todos que gostem de bike, pois você conhece lugares que City Tour nenhum mostrará. Não tirei nenhuma foto do passeio, mas guardo na memória do olhar e do aroma o prazer de ter pedalado pela cidade. Saindo de San Telmo, atravessando avenidas imensas, passando por monumentos desconhecidos do grande público, atravessando parques. Os guias são uma graça. Quem me mostrou a cidade foi Silvina - façam um passeio com ela. As bicicletas...cor laranja! Um charme!
Recomendo o circuito Buenos Aires al Sur
Duração: 4 horas (mas você nem sente!)
Recomendo pois as bicicletas funcionam perfeitamente, os guias são atenciosos, explicam tudo que você pergunta. São cultos. Conversei alguns minutos com Silvina sobre os quíchua, já que minha avó materna era uma índia quíchua, e ela me recomendou o museu - que estava fechado à época por causa das férias universitárias.
Este circuito, no retorno a San Telmo, passa pela Casa Rosada. Lá, você desce da bicicleta e atravessa a praça a pé. Aliás, vocês sabem por que a casa é conhecida como rosada? Era pintada com cal e sangue de boi.
La Bicicleta Naranja
Pasaje Giuffra, 308 (foi deste ponto que saí)
4362-1104
Não deixe a dica de lado e bom passeio!

Mobília de Pallet

Estava folheando um livro (a imagem não ficou nítida, mas achei interessante acrescentá-la para vocês terem uma idéia do que vi) chamado Beach Clubs, quando vi uma charmosa mobília feita de pallet numa varanda espanhola - sofá, mesa. Achei o máximo. Acho que vou copiar algumas peças aqui para casa. Fui pesquisar na web e achei outras imagens e idéias : outro modelo de sofá e um futon (sempre quis colocar um futon no quarto). Achei bem interessante. Na hora de escolher um pallet o cuidado é achar um que tenha uma madeira boa e resistente. Isso me lembrou uns caixotes que vi na livraria do cinema São Luiz - todos coloridinhos com rodízios, uma mão na roda. Uma peça utilitária industrial que pode ser bem interessante quando recebe uma outra leitura, roupagem e um outro olhar.

Árvore de Natal Minimalista

Não morro de afetos pelo período natalino. Já confessei isso no post sobre as luzes na General Glicério. Mas como eu não queria correr o risco de ser chamada de mal-amada, traumatizada, sem infância, e outros atributos cruéis com os quais nós, humanos, rotulamos uns aos outros, então, com coragem, trago a imagem da minha árvore de natal ideal...minimalista, mas com muita luz. Não que eu tenha espírito de Nero (não quero incentivar ninguém a causar incêndios), mas uma vela é tudo de bom, traz energia positiva e iluminação para o mundo, além de queimar os plasmas negativos.

11 de dezembro de 2008

Domo - Escolha um Lugar na Face da Terra

Uma casa em qualquer lugar da face da Terra. Arquitetura e design clean, minimalista, libertador. Casa na árvore, casa na colina, casa na montanha, casa no penhasco. Não é uma proposta interessante? Meio nômade... O design é de Shawn Hausman e Jessica Kimberley. Siga o link do título do post e leia mais sobre essa Dome House.

Um Anjo Voa para Mim na General Glicério - Luzes

Ontem à noite fiz um passeio para ver as luzes que enfeitam a General Glicério. Confesso que ainda não tenho o olhar de Laranjeiras, pois só consigo fotografar detalhes interessantes no Cosme Velho, Isabel Vidal que me perdoe por isso. Já dei um passo: pelo menos, consegui tirar algumas fotos com o pequeno Nokia6120.
Nunca acreditei em Papai Noel, apesar do esforço de minha mãe. Na verdade, sempre acreditei na minha avó argentina, que foi uma pessoa com espírito nômade e que não se rendia a essas histórias culturais natalinas que restringem (essa é minha opinião, gente!). Vivia várias culturas, nômade, trocando experiências com indivíduos de diferentes terras, todos estrangeiros como ela. Minhas memórias familiares?
Me chamou a atenção essa árvore em particular, com suas luzes piscantes e que me fizeram ver pessoas em seus ramos - será que eu tinha bebido muita cerveja? Acho que não, pois o olhar de cada indivíduo abstrai e enxerga aquilo que deseja e pode. Então, publico esta apenas, que me fez ver um ser alado, talvez um anjo, voando em minha direção.
Detalhe: a iluminação da rua é toda discreta, luzes brancas. Raríssimas coloridas, o que para mim causam objeção pela falta de minimalismo, criatividade e quase breguice. Me perdoem, sou muito franca.
Minha brincadeira seria: o que cada um enxerga nesse recorte?

8 de dezembro de 2008

Que Ondas do Arizona São Essas?

Fiquei hipnotizada e deslumbrada com essas ondas e esse vermelho do Arizona. Inspiração para a infinitude criadora do ser humano. Um romance de voltas, uma cerâmica em ondas, paisagem para cavalos árabes - que luz maravilhosa na caverna! Erosão e luz solar. Destruição criadora.

5 de dezembro de 2008

Lhasa de Sela

Quando ouço a voz de Lhasa de Sela, imagino uma mulher do tipo morena, de cabelos negros, sombrancelhas largas, traços fortes, vinda de um lugar como México, Espanha ou Argentina. Influência da capa do álbum Llorona. Não imaginava que ela fosse americana, loura, de traços delicados, nascida nos arredores de Nova Iorque e que morasse no Canadá. Seu domínio do idioma espanhol faz com que, ao ouvi-la, seja transportada para tempos míticos, fronteiras entre a fantasia e a realidade, viagem que faz bem a todos nós. Nós, seres humanos, gostamos de uma história bem contada. Lhasa é a trilha sonora para uma vida cheia de acontecimentos, fora do comum, com aventuras, quedas e ascensões, liberdade, fortitude, honestidade. Uma vida nada ordinária. A minha, a sua, nossas vidas num mundo que nos põem a toda prova, a cada segundo. Um bater de asas de um beija-flor. O nascer e o pôr-do-sol. Um abrir e fechar de olhos. Como estou poética esses dias...acho que é a vida voltando, o sangue correndo nas veias novamente. Para ouvir, baixem no Lime Wire. Para ver os vídeos, acessem o Youtube.
El Desierto
He venido al desierto pa' reirme de tu amor
Que el desierto es más tierno y la espina besa mejor
He venido a este centro de la nada pa' gritar
Que tú nunca mereciste lo que tanto quise dar
He venido yo corriendo, olvidándome de ti
Dame un beso pajarillo, no te asustes colibrí
He venido encendida al desierto pa' quemar
Porque el alma prende fuego cuando deja de amar

Pa'llegar hasta tu lado Gracias a tu cuerpo doy Por haberme esperado Tuve que perderme pa'llegar hasta tu lado Gracias a tus brazos doy Por haberme alcanzado Tuve que alejarme pa'llegar hasta tu lado Gracias a tus manos doy Por haberme aguantado Tuve que quemarme Pa'llegar hasta tu lado

Outras Letras de Lhasa

4 de dezembro de 2008

Prêmio Dardos -Palavras Partihadas

Fiquei tão contente pela indicação do Lector in Fabula como um dos 15 blogs indicados pelo Palavras Partilhadas, que recebeu o Prêmio Dardos, que esqueci de mencionar que Olhar Nômade também está na lista dos 15 blogs indicados por aqueles que transmitiem valores culturais, éticos, literários, pessoais, que demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre as suas palavras. Bom, o selo do Prêmio Dardos foi criado com a intenção de promover a confraternização entre os bloguistas, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web (palavras de Paula Silva). Quem recebe o Prêmio Dardos e o aceita deve seguir algumas regras:1. Exibir a distinta imagem;2. Linkar o blogue pelo qual recebeu o prémio;3. Escolher 15 outros blogues a quem entregar o Prêmio Dardos.
Não posso deixar de novamente agradecer Paula Silva e Palavras Partilhadas pela indicação.
Para encerrar esta contentamento, palavras do meu favorito Jun Nakao:
"Precisamos desnudar a nossa alma para revelar a capacidade de sermos leves, sonhar com indizíveis, impossíveis, inexplicáveis, indefiníveis. Há um possível ainda invisível no real. "