3 de dezembro de 2008

Pamukkale - Turquia

Recebi da minha amiga Ju Mardirossian um ppt com as imagens deste belo lugar que eu nunca tinha visto, meu Olhar Nômade era ignorante desta beleza. Como ainda não aprendi (ou será preguiça minha mesmo?) a anexar um ppt, destaquei estas fotos para compartilhar com vocês.
Informações do site do Colégio Franciscano:
Pamukkale, Turquia, significa Castelo de Algodão. São terraços de rocha branca e brilhante, na forma de lavatórios semi-circulares, de vários tamanhos, que se encontram em forma de cascata no pequeno monte. O conjunto produz efeitos visuais espectaculares, dignos de serem contemplados seja de manhã, no fim da tarde ou qualquer hora do dia. Quando as águas termais emergem e a pressão deixa de ser tão elevada, o dióxido de carbono, o qual está bastante evidenciado na água, tende a vaporizar e o carbonato de cálcio decai, formando gradualmente as formações rochosas que compõe a paisagem. Apesar das fontes de Pamukkale, terem sido afectadas, de tempos a tempos, por tremores de terra, próprios da região, e algumas terem secado, a água volta a emergir dos locais e outra nova fonte nasce.
Desde muito cedo que este local foi escolhido para ser uma área de lazer e de tratamentos medicinais, devido às propriedades terapeuticas destas fontes de águas. Este costume vinha já da época dos romanos, que viu em Pamukkale, uma sítio de salvação e rejuvenescimento. Além das propriedades medicinais destas águas, também se julgava que, quem se banhasse nas águas de Pamukkale ficaria, com o passar do tempo, cada vez mais belo.
Uma lenda: "Há muito tempo atrás, existia uma rapariga muito feia que pertencia a uma família muito pobre. A rapariga não se importava de ser pobre, pois percebera que a felicidade não se encontrava nos bens materiais. No entanto, quando ficou em idade de casar, não surgiu um único pretendente para a desposar. Não apenas pela sua pobreza mas essencialmente pela sua falta de graça. A rapariga ficou tão desesperada que decidiu suicidar-se, lançando-se das rochas de Pamukkale. No entanto, quando se atirou caiu dentro de uma das bacias que estava cheia de água e sedimentos. O filho do Senhor de Denizli estava a passar e aflito, correu para a bacia. Lá encontrou uma rapariga muito ferida e aleijada, mas de uma beleza surpreendente. Pegou nela e levou-a até à casa de seu pai onde cuidou dela com todo o cuidado. Quando a rapariga recuperou, casaram-se e viveram felizes para sempre".
O oriente e seus maravilhosos contadores de histórias...

Nenhum comentário: