23 de novembro de 2008

Olhar sobre as Belas Baleias do Sul da Argentina

Visitei o blog O Jardim dos Sentidos, de Paula Silva, e encontrei uma foto aérea de uma baleia. Recebi de Paula, hoje, domingo, 23 de novembro, um belo pps. Enquanto aprendo a adicionar um pps neste blog, não resisitindo à espera, retirei algumas fotos que publico aqui. Espero que vocês gostem da paz que transmite estes mamíferos majestosos.
Enquanto escrevo para vocês, relembro um filme que vi da série Jornada nas Estrelas, A Volta para Casa, vocês lembram?
Para refrescar a memória:
O ano é 2286, e Kirk e sua tripulação estão no planeta Vulcano, depois dos acontecimentos no planeta Genesis, se preparando para voltar para casa em uma nave Klingon. Ao chegar, encontram a Terra em problemas. Uma sonda espacial está enviando sinais para a superfície, drenando a energia e vaporizando os oceanos, gerando uma cobertura global de nuvens e ameaçando a vida na Terra. A Frota Estelar emite um comunicado sobre a situação para as naves manterem distância do planeta. Spock consegue identificar a natureza dos sinais alienígenas como sendo sons produzidos por uma espécie de baleia há muito extinta, a jubarte. Como não recebe resposta, a sonda intensifica a transmissão. Depois de estudar as possibilidades, Kirk e a tripulação resolvem voltar no tempo e buscar duas baleias jubarte, levando-as de volta para responderem ao sinal. Eles conseguem voltar aos anos 80, localizam os animais em São Francisco e aterrisam a nave em um parque da cidade. A tripulação se divide para atingir todos os objetivos a tempo de voltar pra casa. McCoy e Scott vão tentar conseguir o material para a construção do tanque onde serão transportadas as baleias. Uhura e Chekov ficam encarregados de descobrir um reator nuclear e colher fótons para reabastecer a própria nave. Encontram o que procuram no navio Enterprise CVN 65, e enquanto Uhura é teletransportada de volta, Chekov fica a bordo do navio, por causa de problemas no equipamento de transporte, e é capturado. Depois de escapar e ser perseguido, o russo cai e fica em coma. Kirk e Spock vão até onde os sinais das baleias foram captados, um instituto de pesquisas marinhas, e contatam a Dra. Gillian Taylor, responsável pelos animais George e Gracie. Ela informa que as baleias serão devolvidas ao mar por falta de verbas. Depois de muito custo, Kirk convence a médica de sua história e ela passa a ajudá-los. Eles resgatam Chekov e salvam sua vida, depois tiram as baleias do mar quando elas já estavam prestes a ser atacadas por pescadores. A nave volta para o futuro, levando a Dra. Taylor, e as baleias salvam o planeta ao fazer contato com a sonda. Kirk e a tripulação são então julgados pelo Conselho da Federação por roubarem a Enterprise para resgatar Spock, mas são beneficiados por terem salvo a Terra. O filme é de 1986 e foi dirigido por Leonard Nimoy, que interpretava Spock.
Outro filme lindo com baleias foi o neozelandês A Encantadora de Baleias, de 2002. Porourangi é o filho do chefe de uma aldeia Maori na Nova Zelândia. Seu pai é conhecido como o Domador de Baleias, um tradição que está em sua família há mais de mil anos. Ambos aguardam ansiosamente o nascimento do novo sucessor. Para decepção dos dois, a mulher de Porourangi tem um casal de gêmeos, e, por complicações, o menino e a mãe morrem logo após o parto. A única que sobrevive é a menina Pai. Deprimido e desgostoso, o rapaz decide abandonar a filha e sua aldeia, partindo em busca de uma nova vida. Cabe aos avós cuidar do bebê. Embora o avô, de início, seja incapaz de demonstrar qualquer sentimento de carinho com a neta, é a avó Flowers quem cuida da menina e a ama. Com o passar dos anos, Koro acaba se afeiçoando à neta, mas isso não o impede de bani-la do treinamento ministado aos meninos da aldeia, na tentativa de formar aquele que será o novo chefe. Pai assiste às aulas escondida e começa a praticar os rituais, as tradições e as técnicas de guerra que são necessários ao líder. Pai é a líder natural da tribo. Ela tem uma forte conexão com o mar, mais precisamente com as baleias, que vão em direção à aldeia, em busca da menina. o filme é uma batalha entre o antigo e o moderno. Enquanto Koro, o avô, busca manter as tradições masculinas, a menina representa o novo e a opção de abrir espaço para a mulher na sociedade.
Visitei recentemente o site Voices in the Sea. Há vídeos, informações e maravilhosos sons das baleias. Outro que conheci há uns 2 anos foi o da organização Cethums, que trouxe para o Brasil a sua especialista para falar e fazer workshops sobre o programa tridimensional de uma nova consciência ecológica. Não deixem de conhecer.

2 comentários:

BILMA disse...

Muito bonito.
Bilma

Aquaman disse...

adorei as fotos...
sou biólogo marinho e as baleias são minha paixão.
obrigado.